neonews Portal de notícias e entretenimento

Setembro Amarelo: A saúde mental e o ambiente de trabalho

As dificuldades de se estabelecer e lidar com o espaço profissional afetam diretamente a mente



Você já deve ter ouvido, em algum momento da sua vida, a seguinte frase: “não tem como alguém morrer de trabalhar”. Por mais que a metáfora tenha a intenção de "incentivar" as pessoas (apesar de não ser uma forma ideal de fazer isto), infelizmente ela esta próxima de ser realidade.


Uma pesquisa publicada pelo Ministério da Saúde em 2017, foi encontrado um aumento na taxa de suicídio entre 2011 e 2015, em que cerca de 11 mil pessoas tiraram a própria vida anualmente no Brasil. Além disso, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 700 mil pessoas morreram em 2019 por conta do suicídio. Isso mostra que a cada 100 mortes, uma ocorreu dessa forma, entre a faixa etária de jovens de 15 a 29 anos.


Ligar o suicídio ao trabalho é algo complexo, já que os dados obtidos não dizem a quantidade de pessoas que estavam sofrendo em seus ambientes corporativos ou institucionais; e se sofreram, muitas vezes não denunciaram. Entretanto, sabemos que as doenças ocupacionais, como lesões por esforço repetitivo (LER), dores crônicas, transtornos psiquiátricos e a chamada Síndrome de Burnout (Síndrome do Esgotamento Profissional) podem levar o indivíduo ao suicídio se não diagnosticadas e tratadas adequadamente.


Desde o começo da pandemia em março de 2020, novas situações estressantes catalisaram o desgaste mental de muitas pessoas. A adaptação ao home office, o acúmulo de tarefas profissionais e domésticas, a incertezas sobre o futuro e o medo do contágio são alguns exemplos que contribuíram para uma alta de quase 30% de afastamentos em comparação a 2019, segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.


A depressão e a ansiedade registraram a maior alta entre as principais doenças indicadas como razão para o pedido de benefícios previdenciários perante o INSS. O número de concessões passou de 213,2 mil, em 2019, para 285,2 mil, em 2020, com aumento de 33,7%, e são a principal causa de pagamentos de auxílio-doença não relacionado a acidentes de trabalho (30,67%), seguidos de outros transtornos ansiosos (17,9%).


Mesmo diante do mês de prevenção ao suicídio, devemos lembrar que o objetivo de conscientizar e alertar a população sobre a importância de manter uma boa saúde mental em dia permanece o ano todo. Com isso, o Portal neoNews separou algumas dicas que ajudam a renovar a energia para lidar com os desafios dos ambientes profissionais.


Dicas de como melhorar a saúde mental



  • Fale sobre seus sentimentos

Falar a respeito do que sente pode ajudar nos momentos de estresse e sobrecarga, e isso não é um sinal de fraqueza: faz parte do cuidado com o seu bem-estar. Identifique alguém com quem você se sinta confortável e fale. Expressar suas emoções ajuda a aliviar a tensão, e ter um acompanhamento profissional adequado com psicólogo trará bons resultados também.


  • Tenha resiliência


Ser resiliente pode transformar situações difíceis em desafios estimulantes. Para desenvolver mais resiliência, ao invés de lamentar uma adversidade, tente trabalhar com positividade a busca por uma solução. Acredite em si mesmo, e mantenha-se flexível para enfrentar diferentes desafios e aprender com eles.


  • Mantenha-se ativo


Praticar atividades físicas influencia positivamente na saúde mental, pois aumenta a liberação dos neurotransmissores ligados ao humor, como a serotonina e a endorfina. Caminhadas e alongamentos, por exemplo, já são formas de se manter ativo, caso não tenha tempo para esportes mais elaborados na rotina.


  • Não se isole


Relacionamentos são fundamentais para nossa saúde mental, e as relações no trabalho podem ter um grande impacto, já que passamos a maior parte do dia trabalhando. Problemas no escritório são comuns, mas se não forem resolvidos, a sensaçõe de ressentimento pode se desenvolver para algo mais profundo. A quarentena por conta do novo coronavírus (COVID-19) evidenciou ainda mais como o isolamento social pode ser prejudicial.



  • Faça pausas


A técnica Pomodoro, que ajuda na gestão do tempo, defende que nós somos capazes de manter a concentração por no máximo 25 minutos seguidos. Depois disso, o foco já diminui e as chances de erro passam a ser maiores. Portanto, fazer pequenos intervalos ajuda a aumentar a produtividade, reduzir a tensão e melhorar o foco, beneficiando sua saúde mental. As pausas recomendadas são pequenos intervalos de até 5 minutos, que ajudarão a liberar a mente e focar mais na próxima atividade. Aproveite para se alongar, tomar um café ou uma água.


  • Peça ajuda


Às vezes, é impossível dar conta de fazer tudo sozinho. Ter a responsabilidade de entregar muitas demandas com prazos curtos, por exemplo, pode aumentar seu estresse emocional. Assim, é muito importante pedir ajuda e saber delegar tarefas. Caso sentir que sua carga de trabalho está saindo do controle e te sobrecarregando, converse com seus supervisores a respeito.


  • Crie limites claros entre trabalho e casa


Com a pandemia de COVID-19 e o crescimento do home office, a dificuldade de fazer essa separação entre trabalho e casa aumentou; afinal, nosso trabalho está no lar. Mas é muito importante determinar limites de horário e, se possível, de espaço. Uma dica é estipular outras atividades em horários específicos para que o fim do trabalho entre na rotina. Por exemplo, todo dia às 18h30 você pode praticar atividade física ou cozinhar. Para conseguir estabelecer limites, é muito importante também aprender a dizer "não".



Sinais de que a saúde mental está prejudicada:


  • Sentir-se mais cansado do que o normal;

  • Cometer erros que geralmente não cometeria;

  • Ter dificuldade para se motivar;

  • Ficar de mau humor;

  • Se isolar e evitar os colegas;

  • Procrastinar mais;

  • Ficar muito acelerado e ansioso.

  • Explosões de raiva ou de choro;

  • Faltas ao trabalho;

  • Não cuidar da aparência como faria geralmente;

  • Dormir menos;

  • Consumir mais álcool.


Isso pode levar ao desenvolvimento de alguns transtornos, como depressão, ansiedade e a Síndrome de Burnout, que é uma condição caracterizada pelo estado de esgotamento profissional por estresse acumulado. Lembre-se: se você está passando por algum estresse emocional, procure ajuda profissional. Clique aqui para saber como buscar ajuda.



O texto de hoje é um patrocínio da neoCompany! Quer ficar por dentro de várias notícias sobre o mundo da tecnologia? Acesse o canal do Portal neoNews no Telegram!

Sem Título-1 (1).jpg
versao_branca.png
Conteúdos originais produzidos de ponta a ponta pela vertente de entretenimento construída pela neoCompany que reúne o que há de melhor sobre uma gama de assuntos que com certeza vai te conquistar. Conheça o portal neonews e os neoriginals!