neonews Portal de notícias e entretenimento

Especial Oscar 2021 | A necessária representação da maternidade de “Pieces of a Woman”

Vanessa Kirby enfrenta o papel mais complexo de sua carreira


Créditos: Netflix


Cenas de uma mulher dando à luz não são novas na indústria do entretenimento, mas muito foi abordado como elas são irreais. Um pouco de música dramática, lágrimas falsas, um acontecimento inesperado antes de a mãe ser levada às pressas para o hospital e um rosto brilhante ao entregar um ser humano a este mundo. “Pieces of a Woman” rejeita tudo isso.


Dirigido por Kornél Mundruczó e escrito por Kata Wéber, o filme acompanha o aborto involuntario de Martha Weiss, interpretada por Vanessa Kirby, e oferece uma representação verdadeira da complexidade multifacetada de tais eventos, não apenas a vida de uma mãe, mas aqueles ao seu redor. No início do filme, o espectador é convidado a seguir intimamente o caminho desanimador de Martha no nascimento e morte sem precedentes de sua filha após uma desatenção de sua parteira, visto que Martha e seu marido Sean Carson (Shia LaBeouf) decidiram dar à luz de sua filha em casa. Em uma cena sequencial de mais de 10 minutos, os gemidos e gritos de Kirby são a única coisa além das sutis teclas de piano sendo tocadas, enquanto sua dor sem fim flutua entre momentos de esperança e desespero, que se traduz em sua aparência física. Muito ao contrário das representações recorrentes de nascimento mencionadas acima. E por isso o filme é mais do que ótimo, mas necessário.


Para a preparação do papel, Vanessa Kirby disse à Vogue britânica como ela realmente queria retratar a dor que muitas mães enfrentaram ao perder seus filhos durante o trabalho de parto, e como isso é colorido pela tristeza, luto, mas também vergonha do aborto. Ao mostrar o estado de espírito desgrenhado de uma mulher após o trágico evento, o filme aumenta a consciência de tais questões e da importância de representações realistas da maternidade como um extenso membro da personalidade de uma mulher. Característica que pode ser demonstrada pelo transtorno pós-traumático de Martha refletido em seu constante estado de entorpecimento que abala as expectativas do espectador mais do que um grito de uma pessoa em constante estado de aversão a si mesma enquanto enfrenta contratempos familiares contínuos e vergonha.


Créditos: Netflix


Um dos destaques do filme é sua compreensão e aplicação de semióticas e metáforas não ditas para um roteiro de cinema. O súbito interesse de Martha por ecologia e o desejo de cultivar sementes de maçã para eventualmente se tornarem uma árvore é uma indicação simples, mas bonita, do processo de germinação que também ocorre com seres humanos; desde o nascimento, infância e idade adulta. A habilidade de Vanessa em Kirby de retratar a dor da maternidade é o que garante seu nome como uma das indicadas para "Melhor Atriz" no Oscar deste ano. Seus extensos monólogos emocionais ao longo do filme provam isso.


Ao contrário de retratar um momento feliz ou triste, que são sentimentos comumente compartilhados por atores e não atores, o luto pela perda de um bebê só pode ser expresso e verbalizado por quem já o vivenciou. E a capacidade de Kirby não apenas de retratar, mas também de estudar a dor de mães reais durante as filmagens é o que é mais surpreendente sobre seu papel em "Pieces of a Woman".


Não sabe onde assistir o Oscar amanhã? Clica aqui.



Assista ao trailer



Sem Título-1 (1).jpg
versao_branca.png
Conteúdos originais produzidos de ponta a ponta pela vertente de entretenimento construída pela neoCompany que reúne o que há de melhor sobre uma gama de assuntos que com certeza vai te conquistar. Conheça o portal neonews e os neoriginals!