neonews Portal de notícias e entretenimento

9 habilidades humanas que robôs (ainda) não podem substituir no trabalho

Apesar do avanço das máquinas e sua tecnologia, a mente e consciência das pessoas segue como insubstituível numa empresa


(Unsplash)


Conforme as tecnologias avançam no mundo do trabalho, as pessoas têm ficado cada vez mais preocupadas com a substituição de seus postos por robôs no mercado profissional; afinal, a previsão é de que cerca de sete milhões de empregos sejam extintos nos próximos anos, segundo informações levantadas pelo Fórum Econômico Mundial.

Contudo, ainda há capacidades e habilidades humanas que são insubstituíveis; e que podem ser aperfeiçoadas na hora de trabalhar, e manter o seu posto dentro de uma empresa ou companhia. Para que não haja maiores preocupações, o Portal neonews separou nove habilidades que os robôs, ou máquinas, ainda não têm capacidade para realizar. Ou seja, é interessante investir nesses campos para melhorar o que você já realiza.


Já leu essa: Por que descansar é importante para a sua produtividade e desempenho?



Habilidades do trabalho que só as pessoas podem realizar com qualidade, e as máquinas não

1. Pensamento Crítico ou Raciocínio Analítico

Somente o ser humano é capaz de fazer uma análise crítica e opinativa. Os robôs ainda não conseguem analisar informações incorretas que ficam no meio de muitos outros dados, na hora de apresentar uma crítica baseada em sugestões e opinião. É essencial ter alguém que faça uma boa análise de todos os dados da empresa e das pesquisas, que são informativas para os funcionários e colaboradores. Uma utilização incorreta de dados, somada à falta de análise crítica, pode acarretar uma falha comunicacional, como por exemplo uma fake new.


2. Poder de Decisões Complexas

É certo que os robôs têm a capacidade de guardar muitas informações, e fazer pesquisas; mas a tomada de decisão sobre o fazer com essas infos, diante de uma situação complexa, é do ser humano. Se uma decisão importante for tomada pautando-se apenas num dado, sem uma compressão lógica de cenários e consequências, problemas na sociedade e/ou empresa pode vir a acontecer; e é necessário que uma pessoa seja colocada diante da complexidade dos problemas.

3. Inteligência Emocional, Empatia e Persuasão

Somente o ser humano tem a inteligência emocional e consegue distinguir o que o outro sente. Nós temos o poder de identificar o sentimento das pessoas, e assim agir de forma empática ou utilizar deste sentimento para persuadir, dando argumentos desenvolvidos. Isso é valido na hora de uma venda, reunião de negócios, contratação etc. Enquanto houver pessoas numa empresa, a inteligência emocional será um destaque.


Este assunto pode te interessar: É possível separar a vida pessoal da vida profissional? O que "Ruptura" nos ensina?



4. Criatividade

A inteligência artificial veio para complementar a criatividade humana, mas nunca será capaz de ser criativa e inovadora por si própria. Para que ideias inovadoras surjam, é necessário possuir senso crítico e analítico (mencionado nos itens acima) para identificar melhor o que precisa ser alterado ou inovado.

5. Habilidade de Comunicação Interpessoal

Os robôs estão aprendendo a ouvir e falar, mas ainda possuem um certo limite para isso. Os humanos, obviamente, dominam e apenas precisam melhorar algumas habilidades que podem fazer toda a diferença em seu local de trabalho para garantir o sucesso, como por exemplo: o respeito na hora de falar; ouvir atentamente; ter uma linguagem corporal positiva; tirar dúvidas com outras pessoas; ter a mente aberta e muito mais.

6. Flexibilidade e Adaptação

Ser flexível e saber se adaptar é muito importante, principalmente na atualidade em que as mudanças no mundo do trabalho são cada vez mais constantes; e aquilo que era considerado bom ou essencial ontem, pode não ser mais amanhã. Ainda, um robô necessita de manutenção humana para ser adaptado em situações diversas que exigem uma mudança.

Fique por dentro deste assuntos: Como falar sobre pontos fortes e fracos numa entrevista de emprego?


7. Consciência Ética

Pelo fato dos robôs não terem consciência sobre o que é ou como se comportar eticamente, é preciso que haja uma pessoa para supervisionar os campos de inteligência artificial e genômica. Neste aspecto, as máquinas ainda dependem do ser humano para funcionar e "conviver em sociedade".


8. Liderança

A liderança engloba várias outras habilidades citada acima, e um bom líder precisa conhecer seus funcionários e saber extrair o melhor de cada um; além de tomar boas decisões independente de sua complexidade. Isso um robô jamais conseguirá fazer de forma empática e humanizada.


9. Inteligência Cultural

Ter o conhecimento de novas culturas, idiomas, tendências de mercado é algo importante no ramo profissional, principalmente na hora de criar novos produtos. Ter o entendimento da diversidade e saber respeitá-la é uma qualidade humana, que os robôs só poderiam adquirir por meio de algoritmos, que seriam interpretados de maneira apática e "mecânica" demais. As máquinas ainda não são capazes de sentir do jeito que as pessoas sentem.




Confira estas notícias agora:

Veja 3 aprendizados para o profissional de marketing no ano de 2022
Você sabe o que é um ambiente "instagramável"? Conheça o significado do termo


Se você gosta do mundo dos negócios e procura dicas sobre o assunto, conheça a série de videocasts do neoTalk no canal oficial da neo no YouTube! Lá, você pode conferir todos os episódios da produção na íntegra.



*Conteúdo patrocinado pela neoCompany




Sem Título-1 (1).jpg
versao_branca.png
Conteúdos originais produzidos de ponta a ponta pela vertente de entretenimento construída pela neoCompany que reúne o que há de melhor sobre uma gama de assuntos que com certeza vai te conquistar. Conheça o portal neonews e os neoriginals!